Rui Costa

Rui Costa, por seu nome completo, Rui Manuel César Costa, nascido em 29 de março de 1972 em Lisboa, é um futebolista internacional português, agora líder.

Ele é citado entre os maiores jogadores de futebol portugueses e listado no FIFA 100, um ranking conjunto da Pelé e da Federação Internacional de Futebol (FIFA) dos 125 melhores jogadores ao vivo do mundo em 2004.

Biografia

Este jogador teve uma qualidade de passagem elevada, uma técnica acima da média e um tiro extraordinário. Ele conseguiu atirar em qualquer pontapé parado. O único que falta um título com a equipe profissional de Portugal apesar de uma geração dourada1. Um verdadeiro artista de futebol, este playmaker se distinguiu com Luís Figo, João Pinto e Vitor Baia nas categorias juvenis de Portugal. Este é o campeão do mundo dobro de “geração de ouro” sob 21 em 1989 e 1991.

Revelado no Benfica de Lisboa a partir de 1990, Rui Costa brilha na seleção, incluindo a conquista da Copa do Mundo Sub-20 em 1991. Ele conhece a 31 de março de 1993 sua primeira seleção contra a Suíça em Berna. Transferido para a Fiorentina em 1994, ele jogou seu primeiro jogo na Serie A contra Gênova em 11 de setembro de 1994. Formou desde então uma formidável dupla de ataque com o argentino Gabriel Gabriel Batistuta. Costa oferece muitos passes para Gabigol e se destaca como um dos melhores jogadores de Calcio no final dos anos 90.

Ele terminou sua carreira no clube que o formou, o Benfica Lisboa2, depois de seus períodos na Fiorentina, do qual ele se tornou capitão, e o AC Milan, que desembolsou 43,4 milhões de euros para adquiri-lo em 2001, associado a um salário anual de 5 milhões de euros.

Quando voltou ao clube, o presidente do Benfica de Lisboa admitiu: “Ele me pediu para lhe dar um contrato em branco e me disse que eu só teria que decidir o quanto queríamos dar a ele”. Depois de colocar as botas em 2008, ocupou o cargo de diretor esportivo no Benfica de Lisboa, responsável pelo recrutamento.

Fiorentina

Em 1994, ele se mudou para a Itália, em Florença, por 11 bilhões de liras. Em 1996, ele ganhou a Copa da Itália, onde marcou 2 gols e ajudou várias assistências a ganhar o troféu, novamente em 1996 ganhou o super-copo italiano com a viola contra o Milan. Em 1998-1999 marcou 10 gols (segundo goleador da Fiorentina) e contribuiu para o terceiro lugar da viola.

Em 2000, jogou a Liga dos Campeões em que marcou 2 gols; um gol regular em um chute livre foi cancelado na partida contra o Valencia: tudo isso custou a passagem da rodada para a Fiorentina. Após a partida de Gabriel Batistuta, Rui Costa tornou-se o capitão da Fiorentina. Como capitão do treinamento do lírio, ele ganhou outra Copa da Itália em 2001, antes de ser vendido a Milão para tentar curar a pesada situação da dívida da empresa.

Milão

Em 2001 foi comprado pelo Milan pela figura de 85 bilhões de Litros. Nas três primeiras temporadas, ele joga como titular, o primeiro ano atrás de dois pontos e os dois seguintes emparelhados com Rivaldo e depois com Kakà atrás de um ponto, sob a forma de “Árvore de Natal”. Nas duas últimas temporadas é usado com menos regularidade, frequentemente entrando em um jogo em andamento.

No geral, ganhou uma UEFA Champions League (2002-2003), uma Copa da Itália (2002-2003), uma SuperTaça Europeia (2003), um Campeonato Italiano (2003-2004) e uma Super Taça Italiana (2004), disputando 192 combina e marcou 11 gols.

Retorno ao Benfica

Em 25 de maio de 2006, ele terminou mutuamente o contrato que o vinculou a Milão e retornou ao Benfica. Por ocasião da partida Milan-Benfica do Grupo D da Liga dos Campeões 2007-2008, realizada em 18 de setembro de 2007, foi recebido com coros e aplausos da curva rossoneri, como sinal de gratidão pelos anos passados ​​na camisa rossonera.

No dia 11 de maio de 2008, ele jogou seu último jogo com a camiseta do Benfica, retirando-se oficialmente da atividade competitiva.